Notícias

A NOVA ERA DAS OFICINAS SOCIAIS

As redes sociais são vistas por muitos como um “ponto de encontro”, importante não apenas para os indivíduos como para as empresas, que, de forma rápida, envolvente e dinâmica podem interagir com os seus consumidores, como acontece com as oficinas automóvel. - Artigo do Jornal das Oficinas, com a participação da Alidata.
A NOVA ERA DAS OFICINAS SOCIAIS

Mais de metade da população mundial, cerca de 3,5 mil milhões de pessoas, estão frequentemente online para a partilha de informação e conhecimento. Estima-se que a cada mês surjam 25 milhões de novos utilizadores online no mundo, que representam 25 milhões de possibilidades para os negócios. Com a popularização da internet a partir dos anos 2000, as redes sociais começaram a ganhar força e destaque no dia a dia dos cidadãos. Se inicialmente as redes sociais eram vistas como entretenimento, hoje têm um papel fundamental no mercado de trabalho. Vivemos num mundo ‘hiperconectado’, segundo um relatório da “We Are Social” e da “Hootsuite”, somos mais de 10 milhões de portugueses, onde acima de 70% possuem telemóvel. Além deste dado, em Portugal existem seis milhões de contas na rede social Facebook, havendo também outras bastante conhecidas e utilizadas como o Whatsapp, YouTube, Linkedin, Twitter, Instagram e Tik Tok. Em média um português passa mais de duas horas online por dia a consumir conteúdo e está presente em mais do que três redes sociais.
Sabemos ainda que 87% dos utilizadores acedem a estas plataformas várias vezes ao dia. Estes factos, representam claramente uma oportunidade para as marcas ao nível de marketing, que de forma rápida e dinâmica se podem envolver e interagir com o seu público, criando relações mais fortes e rápidas. São um instrumento imprescindível de marketing e comunicação das empresas, em particular no mercado extremamente concorrencial das oficinas. Constituem ainda um estímulo para a qualidade e transparência do serviço prestado ao cliente, dado o escrutínio e avaliações que as oficinas estão sujeitas pelos consumidores.

AS REDES SOCIAIS POTENCIAM O CRESCIMENTO DAS OFICINAS, DADO QUE FACILITAM AO CONSUMIDOR A PESQUISA E ESCOLHA DA OFICINA MAIS ADEQUADA ÀS NECESSIDADES E EXPETATIVAS DO CONSUMIDOR 

(...)

A viragem oficinal com as redes sociais “A importância das redes sociais nas oficinas, passa, num momento mais imediato, pelo aumento da visibilidade da marca e fazê-la chegar ao maior número de pessoas possível. Os clientes e potenciais clientes das oficinas, à semelhança de outras áreas de negócio, provavelmente estão em pelo menos uma rede social. Por isso, é essencial localizá-los, conhecê-los, dar-se a conhecer e relacionar-se com eles”, explicou Fernando Amaral, CEO da Alidata.

(...)

“Para além do branding awareness, pretende-se a criação de relacionamento, por forma a manter clientes atuais e conquistar novos, caraterizando de forma precisa o cliente e identificando os seus desejos e necessidades. As redes sociais são fundamentais no posicionamento da marca, que pode ganhar relevância no mercado, através da perceção criada pela oficina ou rede nos seus seguidores. No fundo, as redes sociais visam criar e manter uma base de clientes fiéis, que geram mais negócio e recomendação a potenciais, sendo que a maior ambição é conseguir brand lovers. Para além destes objetivos, permitem ainda criar oportunidades de gerar tráfego para outros canais, como site, blog, landing pages e outras plataformas online. Ou seja, são ferramentas fundamentais para a estratégia de marketing digital, que visam sempre o aumento de conversões em vendas”, enalteceu Fernando Amaral. Apesar do notório crescimento que se tem observado neste setor, para Fernando Amaral, ainda não é o suficiente “o crescimento de negócio para as oficinas, com base numa estratégia de comunicação nos social media, tem tido resultados positivos, ainda assim, aquém do que é possível e desejável”, para o CEO da empresa, “esse potencial que não está a ser convertido, prende-se com o facto de os decisores não alocarem recursos humanos qualificados e orçamento para esta área e para o marketing digital em termos genéricos”.

(...)

Para Fernando Amaral “não há fórmulas mágicas nas redes sociais, seja o Facebook, o Instagram ou qualquer outra. É preciso entender a estratégia de cada uma, e escolher e priorizar aquela, ou aquelas, que façam  mais sentido para o seu negócio, marca e estratégia. Uma coisa é certa, as pessoas, de todas as idades e classes, passam vários minutos  por dia nas redes sociais, e para além de criarem ou poderem criar os seus próprios conteúdos, interagem e descobrem pessoas, marcas, negócios e produtos, o que transforma as redes sociais em excelentes ferramentas potencialmente geradoras de negócios para as empresas”.

 

LER NA ÍNTEGRA

Partilhar

Contacte-nos. Clique aqui.

Se necessita de mais informações, deixe-nos
a sua mensagem e entraremos em contacto consigo.